Equipe Divvino

Como harmonizar cogumelos e vinhos

Harmonização / 2 min

28 de agosto de 2018

Alimento que atualmente gira 35 bilhões de dólares por ano no mundo, o cogumelo está cada vez mais presente na mesa do brasileiro. Seus benefícios para a saúde são comprovados, e harmonizar cogumelos e vinhos pode ser uma excelente ideia! Leia o post para saber mais sobre essa combinação.

Consumo do cogumelo

Ricos em fibras, fósforo, potássio, cálcio, sódio, ferro e vitaminas B e C, além de não possuírem gordura, têm mais proteína em grande quantidade de proteína – em média 40% de seu peso rebatendo como as proteínas recebidas da carne com 14% mais gorduras.

Na china, o cogumelo é consumido para aumentar a imunidade e combater doenças, como o câncer, diabetes, colesterol, doenças da tireóide e Alzheimer.

E por que não harmonizar esse superalimento com uma bela taça de vinho? As notas explicativas e persistentes dos cogumelos são opções de acordo com o teor de potência em paladar, e são inúmeros os sabores e variedades dessa iguaria.

O Paris e o Champignon são os mais leves em uma espécie de crescente de sabor para Shimeji e Iratake; seguidos pelo Shitake e Porto Belo, e os mais conhecidos e consumidos secos, como o Funghi Sechi.

Uvas mais indicadas

Dificilmente o cogumelo vem sozinho na receita, mas algumas uvas são certeiras nesta harmonização:

Chardonnay

Servidos acompanhados de entradinhas ou de recheados de ovos, o ideal são chardonnays com a emirada, pois as notas de madeira combinam muito bem com o toque terroso e a textura semi-fibrosa dos cogumelos.

Pinot Noir

Uva leve e frutada com acidez bem equilibrada, é ideal para pratos com cogumelos mais adocicados, como Shimeji ou até mesmo o Yrataki, e também para pratos com baixo teor de gordura ou queijos mais doces da mesma forma, do tipo Gouda.

Syrah

A uva Syrah é ideal para pratos com sabor de queijo, mais pesados, e mais saborosos ovos como Porto Belo e Ostra, que têm notas amadeiradas bem marcantes e contrastadas deliciosamente com os vinhos da fruta.

Malbec

Os cogumelos secos, como Shitake e Funghi Sechi, são mais saborosos e concentrados. As máscaras são geralmente mais condimentadas e mais robustas, como as risotos ricos em queijo, em massas recheadas ao molho de queijo ou até mesmo com molhos à base de vinhos.

Neste caso, o Malbec é essencial, uva mais rica em taninos, normalmente com relação em barricas.

São tantos sabores e variedades que podem brincar na hora da harmonização, que cogumelos e vinhos tornam-se deliciosos, se bem combinados. Ainda não campo das harmonizações, que tal saber como combinar picanha e vinho?


Posts relacionados

Comentários

  1. MIGUEL disse:

    INTERESSANTE!

    1. Equipe Divvino disse:

      Olá Miguel, muito obrigado pelo comentário!

      Continue acompanhando nosso blog, temos muitas outras dicas legais!

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *