skip to Main Content
Guia De Uvas: Riesling, A Alemã Nobre E Versátil

Guia de uvas: Riesling, a alemã nobre e versátil

De origem alemã, mas amplamente cultivada na região da Alsácia, na França, a uva Riesling é considerada uma das melhores castas para a produção de vinhos brancos. Sua versatilidade é, certamente, grande destaque, já que pode ser utilizada em secos, meio secos, doces ou espumantes.

Para saber mais sobre a Riesling e conferir dicas de harmonização, continue a leitura do post!

Origem da uva Riesling

Com registros que datam da Idade Média, século 15, a Riesling nasceu na Alemanha e teve suas primeiras aparições com esse nome em 1522. Previamente, era chamada Rießlingen, em inventários de cultivos da uva branca no ano de 1435. Alguns especialistas também afirmam que havia cultivo da casta nos vales Mosel e Reno.

Durante muito tempo, a casta foi considerada de baixa qualidade, uma vez que processos de produção inadequados podem gerar bebidas extremamente doces. Entretanto, com o refinamento do cultivo, a uva se tornou conhecida e apreciada no mundo inteiro. Desde os rótulos tradicionais da Alsácia, no leste da França, até os Ice Wines canadenses, a Riesling se consagrou devido à sua excelente capacidade de traduzir o terroir de cada região onde é cultivada.

Duas taças de vinho da uva riesling

A uva Riesling é reconhecida como casta nobre devido à sua excelente capacidade de se adaptar ao clima e terroir da região onde é cultivada.

Características

A uva Riesling conquistou reconhecimento por conta de sua versatilidade. Com ela, é possível elaborar vinhos secos, meio secos, suaves e espumantes, com sabores sutis ou mais doces. Tudo isso depende da técnica empregada no processo e do terroir onde é cultivada.

Ela se adapta bem a diferentes climas, mas seu cultivo ideal se dá em regiões com temperaturas moderadas ou frias. Isso porque o calor excessivo acelera a maturação da uva e faz com que ela perca sua alta acidez e complexidade de aromas.

Banner vinhos especiais

Acidez e aromas, inclusive, são duas características importantes quando o assunto é uva Riesling. Por ser uma casta que prefere climas frios, seus vinhos costumam ser bastante ácidos, com baixo teor alcoólico e muito aromáticos.

Vinhos Riesling vão carregar notas frutadas como damasco, abacaxi e pêssego, tendo seu grande destaque nos aromas cítricos de limão siliciano, lima, tangerina e casca de laranja. Quando maturados,também costumam possuir aromas minerais, que podem lembrar derivados do petróleo, como a querosene.

Além disso, por conta de sua estrutura, a casta gera bebidas longevas, diferente de muitas outras uvas brancas. Isso faz com que os vinhos Riesling tenham excelente potencial de guarda.

Mas, por ser eclética, ela também pode estar presente em vinhos jovens, equilibrados e com boa acidez. Nos cultivos em climas quentes, resulta em bebidas com mais açúcar residual e, consequentemente, maior teor alcoólico.

Pode ser utilizada em blends, mas realmente brilha em varietais. Nesses casos, o resultado são vinhos claros e brilhantes, quando jovens, e mais dourados, quando envelhecidos.

Taça de vinho da uva riesling em ambiente aberto

Vinhos riesling tem coloração límpida e dourada, são complexos em aromas e suaves no palato.

Como mencionado anteriormente, está muito presente na Alemanha – a maior produtora mundial – e na Alsácia – região do leste da França, próxima a fronteira da Alemanha. Outros países conhecidos pela produção de vinhos Riesling são Áustria, Canadá, Austrália, Estados Unidos e Nova Zelândia.

No Brasil, a uva Riesling é produzida, mas em outra variedade, a Riesling Itálico. Esta, diferente da Riesling Renano cultivada na Europa e outros países do Novo Mundo, possui características bastante diferentes! Portanto, ao investir em um vinho Riesling nacional, é importante saber que as nuances da bebida não serão as mesmas.

Para apreciar todas as características que essa variedade de uva pode oferecer, o ideal é investir em um vinho Riesling alemão ou rótulos franceses, da região da Alsácia.

Banner Volta do mundo dos vinhos

Harmonização com a uva Riesling

Já sabemos que a uva Riesling é bastante versátil e pode gerar vinhos secos, meio secos e suaves, mas como harmonizá-los? Tudo vai depender do rótulo escolhido!

Para os vinhos Riesling secos e encorpados, carnes brancas são boas opções. A gordura presente nos pratos contrasta com a acidez característica dos rótulos da casta, gerando uma excelente combinação! Outras sugestões são frutos do mar e receitas picantes, como anéis de lula empanados, queijos fortes ou até mesmo um frango tandoori.

Com rótulos mais leves e florais, aperitivos, saladas e carnes brancas são ideais. Se você prefere os vinhos doces, é possível apreciá-los sozinhos, ou complementar sua degustação com sobremesas como o strudel de maçã ou panna cotta de maracujá.

Vinho riesling sendo servido

Ao harmonizar com vinhos riesling, experimente carnes brancas, frutos do mar ou sobremesas como o strudel de maçã.

Para experienciar todas as nuances que a uva Riesling tem a oferecer, experimente rótulos alemães e franceses! Se quiser conhecer vinhos jovens, Nova Zelândia é uma boa pedida, já que produz exemplares frescos e de excelente qualidade!

No Divvino, você encontra inúmeras opções de vinhos Riesling, incluindo rótulos veganos! Para conferir, é só clicar no banner abaixo.

Banner vinhos riesling

Back To Top Pular para o conteúdo