skip to Main Content
Vinhos Em Lata: Saiba Mais Sobre Essa Nova Tendência!

Vinhos em lata: saiba mais sobre essa nova tendência!

Salvar PDFImprimir

vinho em lata como surgiram

O vinho é uma bebida produzida há milênios. Com o passar dos anos, é natural que alguns produtores busquem ideias inovadoras para modernizar as técnicas de fabricação e serviço, seguindo sempre as demandas do público consumidor. Foi em meio a todos esses processos que nasceram os vinhos em lata.

Em um primeiro momento, para os mais preciosistas, pode parecer um sacrilégio. Porém, a verdade é que esse tipo de vinho vai muito além de uma tendência e pode oferecer novas possibilidades e facilidades para o consumo da bebida.

Se você tem dúvidas ou desconfianças com relação aos vinhos em lata, prossiga a leitura e descubra como surgiram, como são feitos e algumas sugestões para você experimentar!

Como surgiram as bebidas enlatadas

As primeiras bebidas enlatadas surgiram nos Estados Unidos por volta do ano de 1935. Na época, a Lei da Proibição das Bebidas Alcoólicas havia sido revogada após mais de uma década, e as indústrias buscavam criar novas formas de envasamento que favorecessem o consumo rápido e, consequentemente, movimentassem o mercado.

A partir de então, as cervejas começaram a ser vendidas em latas maciças de aço e/ou outros metais pesados. Também não havia lacre, e era necessário abrir a embalagem com abridores específicos.

Foi na década de 1960, com o surgimento do alumínio reciclável com anel abridor, que essas embalagens se popularizaram ainda mais.

pessoas brincando com vinho em lata e comendo pizza

As bebidas enlatadas como conhecemos hoje se popularizaram na década de 1960.

Outro avanço significativo foi na camada de proteção interna da bebida. Como algumas delas tinham um nível elevado de acidez, era comum que o sabor fosse influenciado pelo recipiente de metal.

Por isso, hoje as latas de alumínio são revestidas internamente com uma camada orgânica, geralmente feita de verniz à base de água, que preserva as características originais da bebida, impedindo que haja interferência em sua composição ou sabor.

Como surgiu o vinho em lata

Como falamos há pouco, na década de 1930, a indústria de bebidas começou a utilizar as latas como embalagem. Embora isso tenha funcionado para as cervejas, os produtores tiveram muita dificuldade ao usar a mesma técnica nos vinhos.

Era muito difícil manter a estabilidade na bebida, já que os métodos de produção visavam o envase em garrafas de vinho. Além disso, como já comentamos, as latas eram feitas de materiais que, em contato com a bebida, mudavam completamente seu sabor e características.

Por causa dessas tentativas falhas, a venda de vinhos em lata foi deixada de lado pelas vinícolas durante décadas. Mais do que isso, as pessoas que haviam experimentado bebidas envasadas dessa maneira e tiveram experiências ruins criaram certo preconceito com relação a esse tipo de embalagem.

Durante o século 20, houve uma série algumas tentativas falhas, porém foi só no início dos anos 2000 que os vinhos enlatados tiveram uma avanço significativo em seu desenvolvimento.

Desde então, durante os últimos vinte anos, as vinícolas têm estudado e aperfeiçoado esses processos, e hoje já é possível encontrar vinhos em lata excelentes, de ótima qualidade e produzidos por enólogos inovadores.

Vale ressaltar, entretanto, que consumir vinho dessa forma não diminui o valor e a importância da garrafa. Ambas as embalagens podem seguir sendo utilizadas e cumprir diferentes propósitos para o consumidor.

Como são feitos os vinhos em lata?

O desafio na produção dessas bebidas é justamente equilibrar três elementos: o vinho a ser embalado, a lata com um revestimento próprio e o processo de armazenamento.

Aliado a tudo isso, também havia a questão do valor. Se o objetivo dos vinhos enlatados era tornar o consumo da bebida mais prático, não fazia sentido que o produto final tivesse um alto valor agregado.

Ou seja, foi necessário criar um método exclusivo, diferente do que é feito com cerveja ou refrigerantes, e ainda mantê-lo a um preço competitivo e acessível no caso da produção de vinhos em lata.

vinho em lata sendo despejado em uma taça

Para serem enlatados, os vinhos passam por um processo de produção diferenciado.

Para exemplificar essas questões, podemos citar a quantidade de oxigênio. Em uma garrafa de vinho, há uma sobra de espaço que é ocupada por ar; já em uma lata, não existe esse excesso e a bebida fica mais justa ao recipiente.

Em decorrência disso, é preciso preparar o vinho antes do envase, pois a bebida não passará pelas mesmas reações que a armazenada em garrafas. Da mesma forma, o tempo de consumo deve ser mais próximo da data de fabricação do vinho.

Outro fator é que o revestimento interno não poderia ser o mesmo das latas comuns, feito de BPA, pois esse composto ocasionava reações químicas nos vinhos. Portanto, as vinícolas tiveram que testar outros tipos até encontrar um invólucro que fosse acessível e não gerasse danos à bebida.

Além dessas questões, há uma série de outras reações físicas e químicas que são levadas em conta para o desenvolvimento dessas bebidas.

Vinhos em lata para experimentar

Chegou a hora de experimentar alguns rótulos enlatados de qualidade! Ambas as nossas sugestões são produzidas pela Santa Rita, uma importante vinícola chilena com quase 150 anos de história. As bebidas conseguem transmitir tanto a tradição quanto a inovação que um vinho em lata deve ter.

Rita Lovely Rosé

O primeiro rótulo é um vinho rosé feito da uva Syrah. O Rita Lovely Rosé é repleto de acidez, frescor e vivacidade, e apresenta ótimas notas frutadas que lembram cerejas e morangos.

Sua lata tem 250 ml, o que equivale a ⅓ do volume de uma garrafa. É ótimo para ser desfrutado durante o verão à beira da piscina, ou até como acompanhamento para saladas frescas, mariscos, peixes crus e pratos orientais.

vinho em lata rita lovely rosé

Rita Lovely Blanc

Também é fresco, porém traz mais suavidade ao paladar. Feito a partir da uva Sauvignon Blanc, tem um aspecto brilhante e notas que remetem a frutas cítricas, abacaxi e pêssego, o que combina perfeitamente com verão.

E por falar em verão, o Rita Lovely Blanc acompanha bem frutos do mar na manteiga e peixes cozidos no vapor. Para quem procura algo mais elaborado, o risoto milanês é uma ótima pedida.

vinho em lata rita lovely branco

Os vinhos em lata fazem parte de um processo de modernização da bebida. Atualmente, as vinícolas que se dedicam a produzi-los têm uma grande preocupação em entregar rótulos de qualidade.

Ficou curioso para saber se vinho em lata é bom? Clique no banner abaixo e confira as opções no site do Divvino!

vinho em lata divvino

Back To Top Skip to content