skip to Main Content
Aprenda Como Preparar Um Jantar Francês

Aprenda como preparar um jantar francês

A França é considerada pela grande maioria dos chefs como o berço da gastronomia. Além de pratos notáveis, foi lá que nasceram importantes técnicas e utensílios utilizados até os dias de hoje.

Por isso, para preparar um jantar francês para amigos e família, é preciso estar atento a uma série de detalhes no preparo e no serviço dos pratos.

Continue a leitura e aprenda passo a passo como preparar um jantar com pratos franceses deliciosos, do início ao fim!

Aperitivo (Hors-d’œuvre)

Na França, é dever do anfitrião servir aperitivos para que a refeição se inicie. Geralmente, são acompanhados de licores ou bebidas fortificadas.

jantar francês aperitivo

Em dias frios, são servidas sopas, como bouillabaisse, bisque e minestrone. Já nos dias quentes, a refeição é iniciada com canapés, carnes curadas (terrine, patês e rillettes) e queijos franceses.

Entrada (Entrée)

Para iniciar seu jantar francês, sirva pratos leves e frios. Uma das entradas mais comuns é o tartare, um picadinho de carne crua temperada com azeite, mostarda cebola e alcaparras, e servido com uma gema de ovo fresca ou curada e torradas.

jantar francês tartare

Servido para iniciar a refeição, o tartare é um prato frio, feito com carne crua e gema de ovo.

Em jantares mais especiais, é possível optar pelo foie gras (pronuncia-se fuagrá), um fígado de pato/ganso hipertrofiado com textura amanteigada e sabor suave. Nas entradas, ele é servido selado ou em forma de patê.

Outra alternativa é servir croissants acompanhados de manteiga e patês.

Prato principal (Plat principal)

Como a gastronomia se desenvolveu na França, é impossível listar todos os pratos principais do país. Por isso, selecionamos algumas opções comuns, e vinhos para acompanhar cada uma.

Cassoulet

Original do Sul da França, o cassoulet é um prato pesado e complexo, e que muito se assemelha à feijoada brasileira. Trata-se de um caldo de feijão branco cozido lentamente com carnes variadas (linguiça e miúdos suínos, ganso e pato).

Aprenda a receita de cassoulet completa abaixo, em um vídeo feito por Uiara Araújo para o canal da Tastemade Brasil.

Para harmonizar com esse prato, é preciso escolher um vinho com taninos bem presentes, como os tintos da região de Cahors e Côtes du Rhône ou um Shiraz francês. Uma excelente opção de rótulo é o Côtes Du Rhône Villages Aoc Duc De Montgérald 2016.

Coq au vin

Significa, literalmente, “galo ao vinho”. É um prato muito antigo e tradicional e, assim como o anterior, tem cocção lenta, porém um sabor suculento e inconfundível.

jantar francês coq au vin

Para prepará-lo, é preciso marinar o galo por pelo menos um dia, e em seguida cozinhar com bacon, legumes, cenoura, cebola e cogumelos. Tudo é banhado por um vinho tinto da região de Borgonha ou um Beaujolais, que também pode ser utilizado para harmonizar com o prato.

O vídeo abaixo tem um passo a passo feito por Isadora Becker. Assista e aprenda a preparar esse prato!

Filet mignon au poivre

Muito utilizado na culinária francesa, o filet mignon é uma carne com sabor neutro, e por isso pode ser combinada a uma série de molhos. Nesse caso, ele é feito à base de pimenta-do-reino preta e creme de leite fresco.

Tempere medalhões de filet mignon (com altura de três a quatro dedos) com sal e pimenta-do-reino. Em seguida, acrescente uma colher de manteiga com um fio de óleo ou azeite em uma frigideira, e quando estiver bem quente, acomode as carnes, selando por todos os lados por alguns minutos. Reserve-as.

Deglaceie a panela utilizada para selar a carne com uma dose de bourbon, ou outro destilado de sua preferência. Depois disso, acrescente pimenta preta triturada a gosto, um copo de creme de leite fresco e um copo de caldo de carne.

Tempere o molho, deixe reduzir e coloque as carnes de volta na frigideira, cozinhando por mais dois ou três minutos para que atinjam o ponto. Sirva!

Uma garrafa de Syrah francês acompanha muito bem o prato, graças aos seus aromas de pimenta preta e acidez equilibrada.

Ratatouille

É um alimento tipicamente vegano, pois não leva nenhum ingrediente de origem animal. Pode ser servido quente ou frio, tanto como prato principal quanto acompanhamento.

A receita leva vegetais diversos, como tomate, berinjela, abobrinha, pimentão, cebola, azeite e ervas frescas.

Canard à l’orange

Como o nome sugere, trata-se de um pato ao molho de laranja. Essa receita pode ser feita tanto com o animal inteiro quanto com o magret, parte que corresponde ao peito e que tem a carne mais escura.

Os vinhos de Bordeaux com passagem por até um ano em barrica de carvalho harmonizam perfeitamente com esse prato, por suas notas amadeiradas e de especiarias.

O chef francês Olivier Anquier ensinou a fazer uma versão do prato em seu blog. Clique aqui para conferir!

Acompanhamentos

Todos os pratos citados acompanham bem saladas frescas à base de endívia, rúcula e vagem, ou a clássica salada niçoise. Legumes gratinados e variações de batata (gratinada, purê, fritas) também são muito comuns em jantares franceses.

Sobremesa (Dessert)

Nem só de pratos salgados se faz um jantar francês. A culinária do país também é responsável pela criação de doces deliciosos, e que servem perfeitamente para fechar a noite!

Creme bruleé

É uma das sobremesas mais básicas da confeitaria francesa (chamada de pâtisserie), pois leva poucos ingredientes: leite, ovos, açúcar e baunilha. Ao fim do preparo, o doce é finalizado com uma camada de açúcar maçaricado.

jantar francês creme brulee

Feito dos ingredientes básicos da patisserie, o creme bruleé é finalizado com uma camada de açúcar queimado.

O creme bruleé (cujo nome significa “creme queimado”) pode ser infusionado e saborizado com outros ingredientes, como frutas, chocolate, café e especiarias. O segredo para o preparo é bater bem todos os ingredientes e assar em banho maria e em baixa temperatura, por volta dos 150 graus.

Sirva aos seus convidados ao lado de uma taça de um vinho de colheita tardia, como Sauternes, ou de um espumante Moscatel, como o Casa Valduga Moscatel Reserva.

Petit gateau

O petit gateau é famoso por ter sido trazido ao Brasil pelo chef de cozinha Erick Jacquin durante a década de 90. Trata-se de um pequeno bolinho de chocolate que é servido “mal passado”, ou seja, com o centro ainda cremoso, geralmente acompanhado de uma bola de sorvete de creme.

Para aprender a preparar essa sobremesa, que tal assistir a um vídeo do próprio Erick Jacquin? Confira abaixo!

Para harmonizar com esse doce, é preciso escolher um rótulo com bastante açúcar residual. O Taylor’s Porto Ruby é um Vinho do Porto jovem e uma ótima opção de combinação para esse caso.

Tortas folhadas

A massa folhada também é uma invenção da patisserie francesa. A grande diferença para uma massa comum é que esse preparo é intercalado com finas camadas de manteiga derretida, para garantir seu aspecto leve e quebradiço.

Além dos famosos croissants, é utilizada para fazer uma série de doces franceses, como o pain au chocolat, uma massa folhada recheada de chocolate; e o mille feuille, conhecido popularmente no Brasil como “mil folhas”, que costuma levar uma cobertura de creme de confeiteiro.

Dica extra: Como servir um jantar à francesa

Para impressionar ainda mais seus convidados, que tal arrumar uma mesa como um típico jantar à francesa? Confira abaixo o serviço correto para a sua mesa!

jantar frances mesa

Modelo de arrumação de mesa à francesa.

Agora que você leu todas as nossas dicas, certamente está pronto para preparar um jantar francês na sua casa para seus amigos e família. Lembre-se de prestar atenção aos detalhes durante o preparo e seguir a ordem de serviço dos pratos!

E para acompanhar cada um dos pratos, acesse o site do Divvino e descubra a seleção de vinhos franceses escolhidos especialmente para você! Clique no banner abaixo para conferir!

jantar francês divvino

Back To Top