Guia de uvas: Conheça a Pinotage, principal uva da África do Sul

Entendendo de vinho / 3 min

9 de setembro de 2019

Genuinamente sul-africana, a uva Pinotage foi gerada por meio de um cruzamento entre duas variedades francesas, a Pinot Noir e a Hermitage (Cinsault). Demorou algum tempo até que ganhasse seu espaço, porém hoje já é conhecida por muitos entusiastas do vinho por gerar bebidas únicas.

A seguir, contamos um pouco sobre a história da Pinotage, suas características gustativas e aromáticas, e como harmonizar seus vinhos. Boa leitura!

Origem

Muitas uvas viníferas têm a origem imprecisa, e não se sabe quando ou onde surgiram. Esse não é o caso da Pinotage. No ano de 1925, o professor de viticultura da Universidade de Stellenbosch, na África do Sul, chamado Abraham Izak Perold, realizou o cruzamento entre dois tipos de uva para criar uma variedade que se adaptasse ao clima do país.

Da primeira, Pinot Noir, herdou a complexidade aromática. Já da segunda, Hermitage (às vezes chamada de Cinsault), a robustez e resistência ao calor, já que a outra não conseguia se adaptar ao terroir sul-africano. Seu nome de batismo foi uma homenagem às suas antecessoras: Pinotage.

Por incrível que pareça, apesar desse grande projeto, o professor Perold pediu demissão da universidade dois anos após seus experimentos, e a Pinotage permaneceu esquecida.

Foi só em 1935 que o projeto foi redescoberto por CJ Theron, sucessor de Perold. Os primeiros vinhos Pinotage surgiriam apenas seis anos depois, no ano de 1941, produzidos pela vinícola DeWaal.

Hoje, além da África do Sul, é possível encontrar vinhos da uva Pinotage feitos na Nova Zelândia, nos Estados Unidos e em algumas vinícolas no Brasil.

Características da uva

As uvas Pinotage têm uma coloração roxo-azulada. Já os vinhos têm uma aparência similar aos feitos com a Hermitage, sendo de um rubi brilhante com uma leve translucidez.

São bebidas com intensidade média, taninos redondos, leve acidez e um fim de boca doce. Vale lembrar que são mais aromáticas que as uvas de origem, e os aromas mais comuns são notas de frutas vermelhas e negras, e, em ótimas safras, é possível encontrar notas de pimentão vermelho.

Em vinhos com passagem por barrica podem surgir notas de chocolate e especiarias doces, como alcaçuz, ou até um leve sabor de defumação, que costuma ser muito aproveitado nas harmonizações.

Uma curiosidade é que a uva pode desenvolver uma substância conhecida como acetato de isoamila, que lhe confere aromas similares aos de banana, tinta e, por vezes, de borracha queimada. São notas bem sutis e que aparecem apenas em alguns casos.


Harmonização

O vinhos feitos com a uva Pinotage acompanham muito bem carnes assadas e braseadas, como cordeiro, carnes de caça e cortes bovinos. Pratos bem condimentados à base de frango ou frutos do mar também são uma excelente harmonização, especialmente os da culinária indiana.

Os queijos mais indicados para acompanhar uma taça desse vinho são os de massa dura e intensidade média de sabor, como gouda, cheddar e gruyère. Já quando falamos em massa, aposte em lasanhas ou até pizzas.

Carnes: cordeiro, de caça e cortes bovinos assados;
Pratos quentes: curry indiano, frango teriyaki;
Massas e molhos: lasanha e pizzas com recheio de carne;
Queijos: gouda, cheddar e gruyère.

Vinhos Pinotage

Criados no início do século 20 por meio de uma experiência para se adaptar ao terroir da África do Sul, os vinhos da uva Pinotage demoraram para ganhar seu espaço. Hoje, já são procurados por vários enófilos por suas características.

No site do Divvino, você encontra diversos rótulos feitos com a uva Pinotage. Clique no banner abaixo para conferir!

vinhos-pinotage