skip to Main Content
Guia De Uvas: Garnacha/Grenache, A Uva Do Mediterrâneo

Guia de uvas: Garnacha/Grenache, a uva do Mediterrâneo

Os vinhos são conhecidos por serem bebidas com originalidade. Cada uva tem suas individualidades e se comporta de formas diferentes de acordo com o local em que é plantada e outros fatores adversos.

A uva Garnacha (ou Grenache, como é conhecida na França) é um exemplo de personalidade forte. Está entre as dez mais cultivadas do mundo e seus vinhos, sejam varietais ou blends, são cheios de aroma e sabores.

Se você quer entender mais sobre a origem e as características dessa uva e aprender algumas dicas de harmonização, leia nosso conteúdo até o fim!

Origem

A história da Garnacha começa há muitos séculos em Aragão, região do norte da Espanha que faz fronteira com a França. Não se sabe ao certo quando surgiu, porém, é provável que do século 12 em diante tenha sido levada por produtores para locais próximos, como Sicília, Croácia, Grécia e as ilhas de Córsega e Sardenha.

A primeira menção ao fruto apareceu em 1513, feita pelo agrônomo espanhol Gabriel Alonso de Herrera, quando a uva ainda era chamada de Aragones. Nos anos seguintes, foi chamada de Canonat, na Itália, e Roussillon, na França.

O nome “Garnacha” provavelmente tenha surgido na Itália por sua similaridade com outra uva da região, a Vernaccia di Oristano. Apesar disso, ambas não possuem nenhuma correlação. Na França, em decorrência do sotaque, é conhecida como uva Grenache.

Posteriormente, nas regiões à beira do Mar Mediterrâneo, encontrou sua melhor forma e ganhou popularidade. Até hoje, é abundante nos estados do norte e nordeste da Espanha, como Rioja, Navarra, Campo de Borja e Catalunha, e na França, em Rhône e Languedoc-Roussillon.

uva garnacha origem

Vinícola na Catalunha, à beira do Mar Mediterrâneo.

Durante o século 19, foi levada ao Novo Mundo e acabou ganhando notoriedade nos Estados Unidos e na Austrália. Até hoje, ambos têm uma boa produção de Garnacha e é possível degustar bons rótulos originados nesses países.

Blend ou varietal?

Os vinhos varietais da uva Garnacha, muitas vezes, são considerados selvagens, com forte personalidade. Apesar de não ter um corpo tão intenso, pode resultar em bebidas com alto teor alcoólico e alta complexidade aromática.

Por isso, passou a ser utilizada em blends (ou assemblage) como forma de aliar essas características a fatores presentes em outras uvas. Muitas dessas combinações são muito notórias.

Na França, a Grenache é um dos principais ingredientes do Châteauneuf-du-Pape, uma das principais denominações de origem da França. Além dela, são utilizadas outras cepas, como Syrah, Mourvèdre e Cinsault.

Também é utilizada (juntamente com Syrah e Mourvèdre) no blend GSM, um dos clássicos da região de Côtes du Rhône. Na Espanha, a Garnacha é misturada principalmente com a Cariñena, outra uva da região de Aragão.

Características da uva Garnacha

Quem vê a uva Garnacha/Grenache por fora, não imagina toda a sua originalidade. Possui cachos grandes de coloração violeta clara, quando comparada com outras variações tintas.

Quando vinificada, dá origem a vinhos de cor violeta brilhante, de corpo médio e translúcidos, similares aos Carménère. São bebidas com taninos pouco presentes, porém com acidez variando entre média para alta.

Uma característica muito associada a essa uva é o alto teor alcoólico. Os rótulos costumam ter por volta de 14,5%, porém esses níveis podem ultrapassar os 15%.

Quando falamos em aromas, a uva traz traços de frutas vermelhas e negras (como morango e ameixa), porém em estágios mais maduros ou até de geleia. Também é muito comum encontrar notas de ervas, tanto frescas quanto secas.

Quando passam pelo estágio por barrica, os vinhos Grenache/Garnacha podem ganhar aromas de frutas secas, couro, chocolate e baunilha.

uva garnacha caracteristicas

Características da uva Garnacha/Grenache.

Harmonização

Como já falamos, essa uva é muito misturada a outras para produzir vinhos com características específicas e, nesse caso, a harmonização pode depender do blend. Porém, quando tomamos um rótulo varietal, há algumas dicas importantes para escolher o prato que servirá de acompanhamento.

A harmonização entre Garnacha/Grenache e pratos bem condimentados, como os da culinária indiana ou ensopados e braseados, é muito comum, sejam eles à base de carne ou vegetais.

uva garnacha harmonização

Os pratos condimentados da culinária indiana combinam com vinhos Garnacha/Grenache.

Carnes grelhadas também caem muito bem, sejam bovinas, linguiças ou de animais de caça. Cortes de cordeiro e coelho assados são harmonizações típicas.

Até mesmo pratos à base de peixes e frutos-do-mar podem funcionar bem. O segredo é carregar bem nos molhos e nos temperos e escolher um Garnacha/Grenache sem passagem por barrica.

Outra opção são as carnes curadas de charcutaria, como salame, pastrami, jamón e copa. Para a sua degustação, a dica é preparar uma tábua de frios bem recheada e servir juntamente com o vinho.

E por falar em frios, não podemos deixar de citar os queijos. Variações amareladas de pasta semi-dura, como edam, cheddar e gouda, são ótimas escolhas.

Temperos, como pimenta, curry e páprica, são perfeitos para os vinhos feitos com a uva, pois o álcool faz contraponto no paladar à capsaicina, elemento químico responsável pela sensação de ardência. Ervas frescas também costumam funcionar muito bem.

Carnes Carnes grelhadas; carnes de caça; charcutaria; ensopados.
Pratos Culinária indiana.
Queijos Edam, cheddar e gouda
Temperos Pimenta, curry e páprica.

 

Chamando de uva Garnacha ou Grenache, trata-se de uma variação com muita personalidade, capaz de dar origem a vinhos aromáticos, equilibrados e, acima de tudo, de alto teor alcoólico.

Se você se interessou pelos vinhos feitos com essa uva, conheça a seleção do Divvino, com rótulos dos principais países e regiões do mundo. Clique no banner abaixo!

uva garnacha divvino

Back To Top