Equipe Divvino

7 dicas para acertar na degustação de vinho

Entendendo de vinho / 4 min

29 de julho de 2019

Os vinhos são bebidas capazes de proporcionar uma experiência complexa ao serem degustados. Por isso, é comum que as pessoas mantenham um ritual, fazendo diversos tipos de análises.

Se você tem dúvidas de como fazer uma degustação de vinhos, continue a leitura e aprenda sete dicas importantes!

1. Atente-se ao rótulo

Antes mesmo de abrir o vinho, é possível fazer uma análise de diversos pontos do que a bebida entregará em taça por meio do rótulo. Isso porque essas características são expostas justamente para guiar a escolha do consumidor.

É no rótulo que estão expostos a vinícola de origem, a casta que serviu de matéria prima, a graduação alcoólica, o ano de colheita das uvas e a denominação de origem (quando houver).

Combinando essas informações, você pode começar a imaginar quais os aromas, sabores e textura você observará em taça. Esse exercício é interessante para testar as suas habilidades de interpretação de um vinho.

degustação de vinho

2. Taça cheia?

Na hora de servir, o ideal é que não se encha totalmente a taça. Uma de suas funções é aflorar e armazenar os aromas que você sentirá durante a degustação de vinho, e enchê-la demais pode prejudicar essa análise.

A quantidade recomendada de vinho é entre ⅕ e ¼ da taça. Dessa forma, você poderá oxigená-la para a degustação, girando sem derrubar o líquido.

3. Perceba a aparência

A primeira análise do vinho deve ser sempre visual. Talvez seja a etapa mais rápida, pois muitas das informações sobre a aparência dependerão de detalhes já expostos no rótulo. Mesmo assim, pode ser muito útil em caso de degustações às cegas, onde não se tem acesso a essas referências previamente.

A primeira observação deve ser com relação à coloração. Portanto, incline levemente a taça e repare qual a cor do líquido no centro e nas laterais daquele vinho. O tintos com as bordas mais avermelhadas tendem a ter um sabor mais ácido. Já as bordas mais azuladas, puxadas para o violeta, costumam ter acidez menos presente.

Você também pode observar as lágrimas, que são as gotas de vinho que se fixam nas laterais da taça. Quanto mais grossas, maior será o teor alcoólico daquele rótulo.

4. Sinta os aromas

Os aromas do vinho são características que se desenvolvem naturalmente graças aos compostos presentes durante o processo de produção, seja nas uvas, nas cascas, na passagem por barril, entre outros.


Por isso, quando falamos que determinado vinho tem o aroma de “morangos”, “maçã” ou “flores”, não quer dizer que esses elementos são adicionados à bebida. Trata-se de algo desenvolvido naturalmente, e que reconhecemos de acordo com nossos referenciais olfativos.

Para fazer a análise do aroma na degustação de vinho, gire sua taça para oxigenar e, em seguida, coloque o nariz perto da taça e inspire algumas vezes. Então, pense em quais elementos aquele rótulo apresenta.

Um exercício é tentar perceber pelo menos duas frutas e dois outros aromas. Dessa forma, você começa a se acostumar com a experiência de degustação de vinho.

5. Experimente o vinho

O próximo passo é identificar como o vinho se apresenta no seu paladar. Nessa análise, além do sabor, você poderá examinar textura, graduação alcoólica, acidez, taninos, peso e persistência.

Tome um gole da sua bebida, deixe passear pela língua e em seguida, engula. Primeiramente, pense sobre os aspectos, e não o sabor. Se houve uma sensação de adstringência, provavelmente o vinho tem muitos taninos. Se houve muita salivação, isso foi causado pela acidez.

Sua persistência e peso de boca podem ser detectados enquanto a bebida ainda estiver na boca. Já a graduação alcoólica será sentida pela ardência na garganta assim que o vinho for engolido.

Para analisar os sabores, beba outro gole e repita o processo. Assim como os aromas, a degustação no paladar pode ser feita de acordo com suas referências, portanto, pense se aquele vinho é mais doce, amargo, salgado ou azedo, e se ele lembra algum outro alimento, como uma fruta, vegetal, erva ou especiaria.

6. Faça uma última análise

Mesmo realizando um diagnóstico ao fim de cada experiência, é importante pensar sobre a degustação daquele vinho como um todo após todas as análises. Dessa forma, você poderá perceber se é uma bebida complexa, se suas características estão bem harmonizadas e qual foi sua opinião final.

Repasse mentalmente cada um dos passos, e tire suas conclusões. Se estiver degustando o vinho com outras pessoas, troque experiências e analise se houve alguma característica que você não havia percebido.

degustação de vinho

7. Pratique!

A prática leva à perfeição. Sendo assim, para aperfeiçoar seu paladar e melhorar suas habilidades de degustação de vinhos, é necessário que você repita esse processo algumas vezes.

Com o tempo, você perceberá que as etapas se tornarão naturais, bem como a sua percepção de nuances nos rótulos.

Para todos os meses experimentar novos vinhos, conheça o ClubeD. Mensalmente, você receberá rótulos selecionados para degustar em sua casa. Clique no banner abaixo para conferir!

Posts relacionados

Comentários

  1. cid da silva pereira pereira disse:

    Muito bom

    1. Equipe Divvino disse:

      Olá, Cid, muito obrigado por acompanhar as nossas dicas!

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *