skip to Main Content
Vinhos Da Nova Zelândia: Saiba Mais Sobre

Vinhos da Nova Zelândia: saiba mais sobre

Banner Clube D

Por mais que a produção vitivinífera da Nova Zelândia seja relativamente recente, tendo seu início com a colonização inglesa, o país é, hoje, o segundo maior produtor mundial da uva sauvignon blanc. Além disso, os vinhos neozelandeses se popularizaram rapidamente, em vista de suas qualidades e elegância.

Para saber mais sobre os vinhos da Nova Zelândia, principais regiões produtoras e sugestões de rótulos, continue a leitura!

A produção vitivinífera na Nova Zelândia

O início da cultura vitivinífera da Nova Zelândia se deu após a colonização inglesa, no século XIX. Em 1819, o inglês James Busby plantou as primeiras videiras no país, na região de Northland.

Contudo, os primeiros vinhedos comerciais surgiram anos mais tarde, na região de Auckland. Embora a Nova Zelândia tenha enfrentado períodos difíceis por conta da praga filoxera nos anos 90, o investimento em tecnologias e priorização da sustentabilidade nos processos de produção fez com que o país se tornasse um polo importante quando o assunto são vinhos elegantes e de qualidade.

Hoje, o território banhado pelo oceano Pacífico conta com dez regiões produtoras: Marlborough, a mais importante, Northland, Auckland, Central Otago, North Canterbury, Gisborne, Waitaki Valley, Nelson, Hawke’s Bay e Wairarapa.

Região produtora de vinhos da Nova Zelândia

A Nova Zelândia conta com 10 regiões produtoras de vinhos.

Principais regiões produtoras

Antes de abordarmos as regiões vinícolas da Nova Zelândia, é interessante entendermos um pouco sobre as características do país e, consequentemente, os terroirs neozelandeses.

A Nova Zelândia é um país de extensão longitudinal, formado por duas ilhas principais: Ilha do Norte e Ilha do Sul. Por ser um país insular, sofre grande influência marítima, o que marca grande parte dos terroirs do país.

De maneira geral, conta com dias ensolarados e noites amenas, que colaboram com a maturação das uvas e influenciam o desenvolvimento da acidez marcante dos vinhos da região, conferindo grande frescor às bebidas. Embora o país seja pequeno, há uma ampla variedade de solos, em sua maioria, de origem aluvial ou vulcânica.

Marlborough

Marlborough é a região produtora de maior reconhecimento na Nova Zelândia. Dedica grande parte de suas áreas para o cultivo de sauvignon blanc, mas elabora vinhos com outras castas importantes, como chardonnay e pinot noir.

Região de Marlborough na Nova Zelândia

A região de Marlborough produz excelentes vinhos da uva Sauvignon Blanc.

Northland

Região vitícola mais antiga do país, localiza-se na Ilha do Norte. Com verões quentes e alta incidência solar durante o ano todo, demanda cuidados no cultivo por conta da maturação precoce das cepas. Também por isso, os vinhos elaborados em Northland tendem a apresentar maior graduação alcoólica.

Auckland

Outra região antiga em termos de produção, apresenta clima quente e ensolarado. Chardonnay, syrah e cabernet sauvignon são as principais cepas dessa área.

Central Otago

Central Otago é o local de elaboração dos vinhos de altitude do país. Está localizada na Ilha do Sul e é considerada uma das melhores regiões para a produção de vinhos pinot noir na Nova Zelândia.

Região de Central Otago na Nova Zelândia

A região de Central Otago é conhecida pela produção de sofisticados vinhos de altitude.

North Canterbury

A produção de vinhos em North Canterbury é mais recente, com início em 2018. Localiza-se na Ilha do Sul. O destaque da região são os vinhos pinot noir e chardonnay.  

Gisborne

Reconhecida no país por conta da produção de vinhos biodinâmicos, Gisborne é também a casa dos vinhedos mais orientais do mundo.

Waitaki Valley

A plantação das primeiras videiras de Waitaki Valley ocorreu em 2001 e, de lá para cá, produtores da região investiram, principalmente, nas cepas pinot noir, pinot grigio, riesling e chardonnay.

Nelson

Comparada à Toscana, região ensolarada da Itália, Nelson dedica grande parte de sua produção para o cultivo das uvas pinot noir, chardonnay e sauvignon blanc. Localiza-se na Ilha do Sul e, por esse motivo, os produtores precisam ser minuciosos durante o cultivo das videiras, para evitar a maturação precoce das castas. 

Hawke’s Bay

Hawke’s Bay é a segunda maior região produtora da Nova Zelândia. Seus vinhedos são, em grande parte, dedicados às castas merlot, cabernet sauvignon, syrah e chardonnay.

O terroir da região é marcado por um clima quente, ensolarado e seco, com proximidade marítima moderada. Seus solos são jovens e variados, sendo os vulcânicos e aluviais os principais. 

Wairarapa

Localizada na Ilha do Norte, Wairarapa é uma região produtora pequena, mas que elabora excelentes vinhos pinot noir na Nova Zelândia. O início do cultivo de videiras comerciais na região ocorreu na década de 90 e, desde então, viticultores neozelandeses continuam a aprimorar as nuances e complexidades dos tintos delicados e aromáticos da região.

Uvas mais produzidas

Pinot noir, chardonnay, syrah e sauvignon blanc são as grandes estrelas das vinícolas neozelandesas. Os vinhos sauvignon blanc da Nova Zelândia são, inclusive, responsáveis por 85% das exportações de vinhos do país.

Pinot noir

Apenas atrás da sauvignon blanc em termos de produção, o cultivo e elaboração de vinhos pinot noir é tão importante no país que os blends produzidos com a casta são comparados aos clássicos rótulos Bordeaux da França, conhecidos ao redor do globo como os melhores vinhos pinot noir do mundo.

O resultado são rótulos de sabor frutado intenso, mostrando notas de frutas negras e vermelhas.

Vinhos da Nova Zelândia Pinot Noir

A uva pinot noir é uma das principais castas cultivadas na Nova Zelândia.

Chardonnay

Vinhos chardonnay da Nova Zelândia são reconhecidos por seus aromas e sabores frutados, marcadamente cítricos — com notas de lima, limão e zest de limão —, e tropicais, como abacaxi, maracujá e melão. Os rótulos neozelandeses, especificamente, são exemplares encorpados e equilibrados.

O cultivo da casta também é essencial para a elaboração dos vinhos espumantes da Nova Zelândia.

Syrah

Outra casta bastante importante para o país é a syrah, utilizada na elaboração de tintos marcantes, de bom corpo, com notas de frutas pretas maduras, como ameixas e cerejas, e, por vezes, toques picantes de pimenta-do-reino.

Sauvignon blanc

As primeiras videiras da uva sauvignon blanc foram plantadas em 1973, na região de Marlborough. Como mencionado anteriormente, os vinhos da casta são os mais exportados do país. Tratam-se de excelentes brancos com notas frutadas cítricas e mineralidade marcante.

Banner Volta ao Mundo dos Vinhos

Vinhos da Nova Zelândia no Divvino

Se você gostou de conhecer as caraterísticas dos rótulos neozelandeses e quer comprar vinhos da Nova Zelândia, confira a seguir, sugestões de rótulos disponíveis no Divvino!

Lawson’s Dry Hills sauvignon blanc

Varietal produzido na região de Marlborough, tem tonalidade amarela com reflexos esverdeados, aromas de frutas tropicais, como abacaxi e maracujá, notas de maçã verde e leve toque vegetal. É uma opção elegante e refrescante para harmonizar com mix de folhas verdes, carpaccio de salmão, peixes assados e queijos de mofo branco.

Vinhos da Nova Zelândia - Lawson's Dry Hills Sauvignon Blanc

Lawson’s Dry Hills pinot noir

Aplicando as técnicas renomadas de elaboração dos vinhos bordaleses, este varietal da uva pinot noir apresenta coloração rubi de baixa intensidade, aromas de frutas vermelhas, como cereja e mirtilo, além de especiarias como baunilha, oriundas do processo de envelhecimento em barricas de carvalho por 6 meses.

Típico de pinot noirs finos, tem taninos leves, acidez presente e é uma excelente opção para harmonizar com carnes brancas grelhadas e queijo brie.

Vinho da Nova Zelândia Lawson's Dry Hills Pinot Noir

Para conhecer mais vinhos da Nova Zelândia, além do portfólio completo de vinhos disponíveis no Divvino, clique no banner abaixo:

banner para conferir vinhos nacionais e importados

Flávia

Sommelier internacional pela FISAR/UCS, pós-graduada em Marketing e Negócios do Vinho pela ESPM. Há 10 anos atuando no mercado e através de diversos canais de mídia especializados no mundo do vinho. Propago conhecimento para enófilos e amantes da bebida. Falar sobre vinhos é um prazer!

Back To Top Pular para o conteúdo