Entendendo de vinho

Espumante x frisante: qual a diferença entre eles?

Entendendo de vinho / 3 min

30 de setembro de 2019

A palavra francesa perlage é utilizada pelos enólogos para definir as borbulhas de gás carbônico presentes nos vinhos. É uma característica aparente em dois tipos: os espumantes e os frisantes.

É comum que haja muita confusão entre ambos, e também entre suas subdivisões, como Champagne, Lambrusco e Prosecco. A verdade, porém, é que são diferentes, desde seu processo de produção à sua textura e paladar.

A seguir, explicamos as diferenças entre espumante e frisante, quais são os principais tipos de cada um e suas nomenclaturas. Vamos conferir?

O que é um espumante?

Pode ser chamado de espumante todo vinho com uma grande quantidade de borbulhas de dióxido de carbono, conhecidas como perlage. Essa característica é gerada por meio de uma segunda fermentação, que pode ser de diferentes tipos, como Champenoise, Charmat ou Transferência.

O método Champenoise é o mais tradicional, originado e utilizado especialmente na região de Champagne, na França. As borbulhas são geradas na própria garrafa com a adição de leveduras e açúcar. Costuma ser o mais caro e trabalhoso para o produtor e, por essa razão, não é tão comum quanto os demais.

Já o Charmat também foi criado em Champagne, mas ganhou destaque na Itália. Sua segunda fermentação é realizada nos próprios tanques de inox, com a adição de açúcar e leveduras, e em seguida, a bebida é filtrada e engarrafada.

Por fim, no método de Transferência, a segunda fermentação também é feita em garrafa, assim como o Champenoise. Porém, após o desenvolvimento da perlage, toda a produção é desengarrafada em um tanque de inox, e é adicionado um “licor de dosagem”, e em seguida, engarrafada novamente.

Há outros tipos de fermentação de espumantes, mas que não representam uma porcentagem tão grande na produção.

Vinhos espumantes mais conhecidos

Entre esse tipo de vinho, há diversas denominações de origem bem conhecidas. A primeira delas é o Champagne, que muitas vezes é usado erroneamente como sinônimo de espumante.

Para ser um espumante Champagne, é necessário que o vinho seja feito na região de mesmo nome, na França, e siga rigorosos requisitos propostos pelo Comitê Interprofissional do Vinho de Champagne.

Outro espumante muito conhecido é o Prosecco, original da região de Veneto, no norte da Itália. Para ser chamado assim, é necessário que seja produzido nas microrregiões de Valdobbiadene e Conegliano, e a partir da uva Glera.

Por fim, há os espumantes espanhóis de Cava, que devem seguir os métodos tradicionais de vinificação da região da Catalunha. As uvas mais comuns utilizadas são Macabeu, Parellada, e Xarello, mas a bebida também pode conter porcentagens menores de Chardonnay, Pinot Noir e Subirat.

O que é um frisante?

Assim como os espumantes, os vinhos frisantes têm em seu corpo a presença de dióxido de carbono. A grande diferença é que eles não passam por uma segunda fermentação.

As borbulhas geradas nos vinhos frisantes vêm da primeira fermentação. Após a prensa das uvas e adição de açúcar e fermento ao mosto, as leveduras eliminam gás carbônico enquanto transformam a glicose em álcool.

Nos processos comuns de vinificação, esse gás carbônico é liberado. Porém, nos frisantes, ele é mantido e engarrafado, gerando um tipo de vinho com uma perlage mais sutil. Por serem mais simples de se fazer, também é comum que sejam mais baratos.

Vinhos frisantes mais conhecidos

O tipo de frisante mais popular é o Lambrusco. Produzidos principalmente na região da Emilia-Romana, na Itália, podem ser tintos, brancos e rosés. São produzidos a partir de uma uva de mesmo nome, que tem 13 subvariedades diferentes.

Muitos Vinhos Verdes, originais da região portuguesa de mesmo nome, também podem ser considerados frisantes, graças à perlage residual formada durante a fermentação.

Nomenclaturas de espumantes e frisantes

Nos rótulos de vinhos espumantes ou frisantes, é possível encontrar algumas nomenclaturas que dizem respeito à sua quantidade de açúcar residual. Saber o que significa cada uma delas é importante na hora da escolha:

 

Nomenclatura Quantidade de açúcar/litro
Nature < 3 g/L
Extra-brut 3,1 g/L < 6 g/L
Brut 6,1 g/L < 12 g/L
Extra-sec 12,1 g/L < 17 g/L
Sec 17,1 g/L < 32 g/L
Demi-sec  32,1 g/L < 50 g/L

 

Agora você não tem mais desculpas para ficar em dúvida na hora de escolher entre um vinho espumante e um frisante! Mesmo ambos tendo a perlage como característica marcante, são variações diferentes.

Quer ter acesso a outros conteúdos sobre vinhos diretamente no seu e-mail? Assine nossa newsletter preenchendo o formulário abaixo!


Posts relacionados

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *